Guia de Saúde

Clique para encontrar especialistas em Volta Redonda e região.

Buscar por:
Imagens

Buscando por Oftalmologista

Encontre seu Oftalmologista em nosso guia médico, das cidades de: Volta Redonda, Barra Mansa, Resende e toda Região Sul Fluminense.

Foram encontrados 112 resultados.

Na grande maioria das vezes a busca por um médico oftalmologista é somente nos casos em que é necessário o uso de óculos de grau. Mas será, que essa é a melhor oportunidade em fazer uma visita ao médico de olho?

Mesmo sem sentir dificuldades ou desconfortos visuais, a ida a um especialista em oftalmologia se faz essencial por diversos fatores, entre eles a prevenção de doenças.

Para maior orientação, nesse texto você terá informações essenciais para ter uma boa saúde e para um maior cuidado com a sua família.

Quer saber onde marcar um oftalmo, onde tem, com quais sintomas deve pedir ajuda médica, como é o exame de vista, preço e valores, além de porque procurar um especialista?! Então está no lugar certo!

Vamos começar falando nesse texto do porquê de ser imprescindível visitar periodicamente o seu oftalmologista.

POR QUE É IMPORTANTE PROCURAR UM OFTALMOLOGISTA?

Periodicamente buscamos algumas especialidades médicas para avaliar como anda o funcionamento do nosso organismo, como um cardiologista, um endocrinologista, as mulheres vão frequentemente aos ginecologistas, entre outras especialidades não é mesmo?!

E porque não vamos com a mesma frequência a um consultório de oftalmologia? Será que nossa visão não é tão importante assim? Seja por desleixo, ou por costume, a ida ao médico de vista é essencial para nossa saúde, tanto quanto as demais áreas.

O oftalmologista tem como especialidade julgar e fazer o tratamento de doenças que afetam nossa visão. Podemos citar o glaucoma, catarata, hipermetropia, astigmatismo e a miopia. Assim como condições que afetam a regiões próximas aos olhos, como o canal lacrimal e até as pálpebras.

A importância do médico oftalmologista está no diagnóstico, e no tratamento específico para problemas de visão, seja com medicamentos ou o uso de óculos de grau. Além disso, esse profissional é capaz de identificar doenças em suas fases iniciais, evitando que elas com o tempo se agravem.

Por isso, a consulta com um oftalmologista é de suma importância!

OCULISTA E OFTALMOLOGISTA SÃO A MESMA COISA?

É muito comum confundir as atuações de um oftalmologista com a de oculista, afinal, ambas estão relacionadas aos cuidados dos olhos. Porém, não são a mesma coisa e saber diferenciá-las ajuda a identificar que profissional você deve buscar.

A oftalmologia é uma área dedicada aos estudos e tratamentos de patologias oculares, que pode ser atuante no receituário de um óculos.

Um oftalmologista pode ter algumas especializações que atuam em áreas específicas da oftalmologia, como por exemplo, estrabismo, lente de contato, córneas, plásticas oculares, dutos lacrimais, glaucomas, entre outros.

Assim, a consulta ao oftalmo é garantia de um diagnóstico mais preciso e seguro para seu problema.

Já o oculista é um especialista na fabricação e produção de lentes refratárias, o seu trabalho se restringe a práticas em laboratório, sendo ele capaz de adaptar e orientar um paciente que necessita do uso das lentes, através da prescrição de um oftalmologista.

Quando precisar de um especialista para patologias na visão, incômodos e afins, a busca deve ser feita à um médico oftalmologista, caso necessite usar óculos ou lentes, você deve buscar a ajuda de um médico oculista.

QUANDO DEVEMOS VISITAR O NOSSO OFTALMOLOGISTA?

Os especialistas recomendam a visita ao consultório de oftalmologia quando sentir incômodo na região dos olhos, coceira, dores de cabeça frequentes, ardência e irritação. Além de dificuldade para enxergar, como visão turva. Sendo estes sinais mais imediatos na procura desse especialista oftalmo.

Se notar alguma mudança no globo ocular como alteração nas cores, manchas próximas ao olho e visão duplicada são outros alertas para a procura de um oftalmologista.

Caso não tenha nenhum dos sintomas descritos acima, ainda se faz necessária a ida ao oftalmolo pelo menos uma vez a cada ano.

Para aqueles que têm histórico familiar com doenças associadas à visão e diabetes é ainda mais obrigatório essas visitas, evitando assim condições genéticas agravantes da visão.

O mesmo é indicado por aqueles que já utilizam óculos e lentes de grau, a fim de evitar e controlar o aumento do seu grau.

A PARTIR DE QUANDO AS VISITAS AO OFTALMOLOGISTA DEVEM SER MAIS FREQUENTES?

Em qualquer idade é importante idas regulares ao médico oftalmo, porém, a chegada dos 40 anos esse encontro deve ocorrer com maior constância. Isso porque é mais comum o surgimento da presbiopia, também conhecida como a vista cansada.

A verificação periódica da pressão do olho é essencial após os 40 anos, para diagnosticar preventivamente problemas como o glaucoma.

Aqueles indivíduos que possuem determinadas doenças que são associadas com a idade, como a hipertensão e diabetes devem procurar ajuda médica o quanto antes, pois são alvos comuns de retinopatia hipertensiva ou diabética, causando lesões localizadas na retina.

PRIMEIRA CONSULTA AO OFTALMOLOGISTA, O QUE FAZER?

Em sua primeira consulta você deve sempre ser claro e contar com detalhes os sintomas, fale ao oftalmologista sobre históricos familiar sobre doenças relacionadas a visão, doenças infecto contagiosas, hipertensão, diabetes, assim como descolamento de retina, catarata ou glaucoma, ou se já houve cirurgia na região dos olhos.

Se já fez exames, leve-os para o médico oftalmo averiguar, e se usa óculos, não esqueça de levá-los. Receitas e colírios passados por outros médicos também devem estar presente na consulta.

Se houver dúvidas, não omita! Sempre pergunte e sacie dúvidas, isso pode facilitar o seu tratamento e te ajudar a prevenir doenças, além disso, o profissional de oftalmologia está ali para te orientar.

Na sua primeira consulta ao médico de vista opte por ir acompanhado, se estiver dirigindo, peça companhia de alguém que possa fazer isso por você, pois, o médico pode fazer alguns exames que podem interferir temporariamente na sua visão, como por exemplo a dilatação da pupila.

No em caso de atendimento infantil você deve perguntar antecipadamente à criança as suas dificuldades para que o médico possa saber com mais clareza, além disso, buscar um profissional oftalmo pediátrico.

Em caso de idoso, o acompanhante é obrigatório.

PERGUNTAS FREQUENTES (FAQ):

ONDE POSSO ENCONTRAR UM OFTALMOLOGISTA?

Em nosso Guia você encontra Oftalmologista de Volta Redonda e Região. Para ter acesso aos cuidados de um médico oftalmologista você pode buscar atendimento em hospital, posto de saúde, SUS, em centro médico, clínica e consultório, além de clínica popular.

O QUE OFTALMOLOGISTA FAZ?

O médico de vista é formado e especializado para o tratamentos de patologias relacionadas a visão, atuando no diagnóstico e no tratar dessas doenças. Além de contribuir para o cuidar de doenças e condições nas proximidades dos olhos, como as pálpebras e os dutos lacrimais.

O QUE TRATA O OFTALMOLOGISTA?

O profissional da oftalmologia trabalha no cuidado de diversas doenças, vamos listar os tratamentos feitos por esses especialistas: albinismo ocular, albinismo oculocutâneo, amaurose fugaz, ambliopia, ametropia, aniridia, aniseiconia, anisocoria, anisometropia, anoftalmia, anormalidades do olho, arco senil, astenopia, astigmatismo, atrofia girata, atrofia óptica, atrofia óptica autossômica dominante, atrofia óptica hereditária de leber, atrofias ópticas hereditárias, baixa visão, barotrauma blefarite, blefarofimose, blefarospasmo, buraco macular, calázio, catarata, catarata congênita, cegueira, cegueira cortical, cegueira noturna, ceratite, ceratite dendrítica, ceratite herpética, ceratite por acanthamoeba, ceratoacantoma, ceratocone, ceratoconjuntivite, ceratoconjuntivite infecciosa, ceratoconjuntivite seca, coceira nos olhos, coloboma, conjuntivite, conjuntivite alérgica, conjuntivite alérgica e irritativa, conjuntivite bacteriana, conjuntivite de inclusão, conjuntivite hemorrágica aguda, conjuntivite infecciosa, conjuntivite viral, coriorretinite, coroideremia, coroidite, corpos estranhos no olho, dacriocistite, defeitos da visão cromática, deficiência visual, degeneração macular relacionada à idade, degeneração retiniana, descolamento de retina, descolamento do vítreo, descolamento retiniano, diplopia, displasia retiniana, displasia septo-óptica, distrofia corneana epitelial juvenil de meesmann, distrofia endotelial de fuchs, distrofias hereditárias da córnea, distúrbios pupilares, dmri – degeneração macular relacionada à idade, doenças da conjuntiva, doenças da córnea, doenças da coróide, doenças da esclera, doenças da íris, doenças da úvea, doenças do cristalino, doenças do nervo oculomotor, doenças do nervo olfatório, doenças do nervo óptico, doenças dos anexos, doenças dos ductos biliares, doenças orbitárias, doenças palpebrais, doenças retinianas, drusa do disco óptico, drusa retiniana, ectopia do cristalino, ectropio, edema da córnea, edema macular cistóide, endoftalmite, enoftalmia, entrópio, erros de refração, esclerite, escotoma, escurecimento súbito na visão, esotropia, esparganose, estrabismo, estrias, angióides, exoftalmia, exotropia, fotofobia, fraturas orbitárias, ganglioglioma, glaucoma, glaucoma de ângulo aberto, glaucoma de ângulo fechado, glaucoma neovascular, glioma do nervo óptico, hemianopsia, hemorragia da coróide, hemorragia ocular, hemorragia retiniana, hemorragia vítrea, herpes zoster oftálmico, hidrocistoma, hidroftalmia, hifema, hipermetropia, hiperopia, hipertelorismo, hipertensão ocular, hipotensão ocular, infecções humanas por adenovirus, infecções oculares, infecções oculares bacterianas, infecções oculares fúngicas, infecções oculares parasitárias, infecções oculares virais, infecções por htlv-i, infecções por htlv-ii, iridociclite, irite, loíase, manifestações oculares, membrana epirretiniana, membrana neovascular, membrana neovascular subretiniana, microftalmia, midríase, miopia, miopia degenerativa, miose, neoplasias da coróide, neoplasias da íris, neoplasias da retina, neoplasias do nervo óptico, neoplasias oculares, neoplasias palpebrais, neoplasias uveais, neovascularização coroidal, neovascularização da córnea, neovascularização retiniana, neurite óptica, neuromielite óptica, neuropatia óptica isquêmica, nevo de ota, nistagmo congênito, nistagmo patológico, obstrução dos ductos lacrimais, oclusão da artéria retiniana, oclusão da veia retiniana, oftalmia da ceratoconjuntivite, oftalmia neonatal, oftalmia simpática, oftalmopatia de graves, oftalmopatias, oftalmopatias hereditárias, oftalmoplegia, oftalmoplegia externa progressiva crônica, oncocercíase, oncocercíase ocular, opacidade da córnea, panoftalmite, panuveíte, papiledema, papiloma do plexo coróide, paralisia supranuclear progressiva, pars planite, perfurações retinianas, presbiopia, pseudofacia, pseudoxantoma elástico, pterígio. pupila tônica, queimaduras oculares, rabdomiossarcoma embrionário, retinite, retinite pigmentosa, retinite por citomegalovirus, retinoblastoma, retinopatia da prematuridade, retinopatia diabética, retinosquise, síndrome da retração ocular, síndrome de adie, síndrome de behçet, síndrome de bloom, síndrome de exfoliação, síndrome de horner, síndrome de kearns-sayer, síndrome de laurence-moon, síndrome de marfan, síndrome de necrose retiniana aguda, síndrome de nelson, síndrome de opsoclonia-mioclonia, síndrome de rothmund-thomson, síndrome de stevens-johnson, síndrome de tolosa-hunt, síndrome de wolfram, síndrome oculocerebrorrenal, síndrome sunct, síndrome uveomeningoencefálica, síndromes de usher, síndromes do olho seco, subluxação do cristalino, terçol, toxocaríase, toxoplasmose, toxoplasmose ocular, tracoma, transplante de córnea, transtornos da motilidade ciliar, transtornos da motilidade ocular, transtornos da visão, transtornos de fotossensibilidade, traumatismo do nervo abducente, traumatismos do nervo óptico, traumatismos oculares, tuberculose ocular, úlcera da córnea, uveíte, uveíte anterior, uveíte intermediária, uveíte posterior, uveíte supurativa, vasculite retiniana, visão dupla, vitreorretinopatia proliferativa, xantelasma, xantomatose cerebrotendinosa e xeroftalmia.

POR QUE IR AO OFTALMOLOGISTA?

Ao sentir desconfortos como irritação, coceira, dores, na região ocular, além de dificuldades para enxergar e até mesmo corrimento nos olhos, é necessário buscar uma ajuda especializada, afinal podem ser sintomas de alguma irregularidade na região.

QUANTO CUSTA OFTALMOLOGISTA?

Os médicos oftalmo trabalham na sua grande maioria em clínicas e consultórios particulares, e muitos fazem atendimento através de planos de saúde, facilitando assim o acesso aos pacientes e oferecendo um preço popular.

Hapvida, Unimed, Bradesco Saúde, Golden Cross, SulAmérica, Amil, NotreDame Intermédica, Porto Seguro, Care Plus, Allianz Saúde, Prevent Senior, Sompo Saúde, Omint, esses são alguns dos planos de saúde que te garantem cobertura ao oftalmologista.

Uma das dúvidas mais frequentes é quanto custa uma consulta oftalmológica, porém,  não há uma tabela com os valores de oftalmologista, porém, você pode entrar em contato com o seu plano ou com a clínica e consultório para se informar melhor.

O QUE O OFTALMOLOGISTA FAZ NA CONSULTA?

Em uma consulta no consultório de oftalmologia, o médico pode estar realizando exames, o uso de colírio, prescrever o uso de lentes e óculos se necessário, averiguar doenças, alergias, presença de inflamações, e infecções.

Pode também haver prescrição de tratamentos com medicamentos, realização de cirurgias oftalmológicas e indicação de cuidados preventivos.

Além de emissão de receitas para tratamentos, declarações e atestados médicos.

Cadastre-se Grátis

Faça parte do Ponto de Saúde

Atraia Pacientes